Indicação geográfica e produção de queijos artesanais são temas de eventos em Joinville (SC)

Workshop e oficina serão realizados de 10 a 12 de agosto com especialistas brasileiros e estrangeiros

1
1791
CPT - Centro de Produções Técnicas

O debate sobre Indicação Geográfica (IG) voltará a ganhar destaque em Santa Catarina. De 10 a 12 de agosto deste ano, a cidade de Joinville terá dois eventos sobre o tema: o V Workshop Catarinense de Indicação Geográfica e a I Oficina sobre Queijos Artesanais.

Ambos têm o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do governo de SC e da prefeitura do município, além de outras instituições. A I Oficina sobre Queijos Artesanais vai ocorrer no dia 10 de agosto.

Durante o encontro, será feita uma apresentação sobre o panorama brasileiro e internacional do setor. Também serão discutidas e sugeridas propostas de especialistas para regularização da produção e da comercialização do produto no país. De acordo com os organizadores do evento, a produção de queijo artesanal contribui para a geração de renda e a ocupação de milhares de famílias rurais. O setor entende que o poder público pode ajudá-lo a superar barreiras hoje existentes. Isso ocorreu, por exemplo, com a edição da Instrução Normativa 30/2013, do Mapa, que permitiu a produção de queijos artesanais em condições singulares.

Entre os palestrantes e moderadores da oficina, estão pesquisadores de universidades, representantes do Mapa e de outras instituições públicas ligadas ao setor agrícola. Já o workshop, com a apresentação de trabalhos acadêmicos, será realizado nos dias 11 e 12 de agosto, paralelamente à IV Mostra de Produtos Tradicionais.

Este ano, a programação prevê, além dos demais temas relacionados a indicações geográficas, a exposição sobre a regulamentação do assunto na União Europeia. Para tanto, contará com a participação de palestrantes de Portugal, da França e Espanha, além de especialistas de diversas instituições do Mapa, Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e de outras instituições.

Durante o V Workshop Catarinense de Indicação Geográfica também serão apresentados cases sobre produtos de origem catarinense, como a Uva Goethe, Queijo Serrano, Erva Mate do Planalto Norte e da Banana de Corupá. No último dia, serão promovidas oficinas do Mapa, INPI, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e Universisade da Região de Joinville (Univille). Em sua oficina, o Mapa abordará as boas práticas agropecuárias (BPA). Mais informações sobre o evento: www.redeindicacaogeografica.com

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta