Aspectos funcionais do leite e derivados em patologias

0
403
CPT - Centro de Produções Técnicas

Por Dra. Licinia de Campos, nutricionista

A definição de alimento funcional é “qualquer alimento ou ingrediente que possa fornecer benefícios à saúde além dos que os nutrientes tradicionais proporcionam.” Muitos alimentos e seus componentes, incluindo leite e derivados, se encaixam nesta definição.

No começo dos anos 80, os japoneses foram os primeiros a reconhecer os produtos lácteos como alimentos funcionais, contribuidores significativos na fisiologia humana. Desde então houve aumento nas investigações a fim de fornecer suporte a este ponto de vista. As evidências atuais estão baseadas primariamente em estudos realizados com referência aos benefícios em saúde da maioria dos produtos lácteos e seus componentes. Ainda são necessários mais estudos clínicos em humanos em muitas áreas. Funções bioativas associadas aos lácteos e seus componentes

Funções significativas:

• Antimicrobiológica: inclusive controle da microflora dos intestinos

• Antiviral • Quelante de enterotoxinas como as causadas pela E. Coli e cólera

• Anti-cancerígena

• Imunomoduladora

• Anti-oxidativa

• Efeitos opióides

• Retardamento da osteoporose

 

Funções cardiovasculares:

• Antiinflamatória

• Anti-hipertensiva

• Anti-trombótica

• Redutora de colesterol

 

Produtos lácteos e seus componentes com funções bioativas

• Iogurte e outros lácteos fermentados

• Leite

• Colostro (o 1º. leite ejetado pelo organismo materno)

• Queijos • Concentrados do soro do leite/ isolados

• Concentrados das proteínas do leite

 

Quase todos os componentes do leite podem contribuir para potenciais benefícios em saúde, dentre eles:

• Proteínas

• Peptídeos

• Lipídios

• Carboidratos menores

• Minerais

• Vitaminas

 

Relação entre função bioativa e componentes do leite

1. Proteção contra certos tipos de cânceres: concentrados da proteína do soro; albumina sérica bovina; lactoferrina; alfa-lactoalbumina; peptídeos; esfingolipídeos; ácido linoléico conjugado (CLA); ácido butírico; cálcio.

2. Imunomodulação: concentrado da proteína modificada do soro; lactoferrina; lactoperoxidase; glicomacropeptídeo caseína Kappa; CLA; probióticos: lácteos fermentados; colostro.

3. Proteção contra hipertensão: concentrados da proteína do soro do leite; concentrados imunes das proteínas do leite; probióticos; peptídeos; vitaminas do complexo B; cálcio.

4. Atividade anti-trombótica: concentrados da proteína do soro; lactoferrina; peptídeos.

5. Efeitos antinflamatórios: peptídeos, colostro, concentrados imunes da proteína do soro.

6. Redução dos níveis de colesterol: concentrados da proteína do soro; isolados da proteína do soro; ácido esteárico.

7. Anti-microbiológico/ anti-viral: concentrados da proteína do soro; lactoferrina; lactoperoxidase; caseína glicomacropeptídica.

8. Efeitos quelantes das toxinas: concentrado da proteína do soro; alfa-lactalbumina; beta-lactoglobulina; caseína glicomacropeptidíca.

9. Promoção do crescimento bifidobacterial: caseína glicomacropeptidíca; açúcares amino; oligossacarídeos.

10. Probióticos: microrganismos do ácido lático – assistem no controle da microflora intestinal: iogurte e bebidas lácteas fermentadas; cepas fortes dependentes; fatos suportados por alguns estudos clínicos.

11. Efeito similar aos opióides: peptídeos – derivados da alfa-lactalbumina; derivados da beta-lactoglobulina; derivados das caseínas.

12. Efeitos antioxidativos: concentrados da proteína do soro/ isolados; lactoferrina; vitamina C. Atuação fisiológica dos componentes lácteos

• Lactoferrina: secreção natural do leite, lágrimas e bile. Torna-se elevada na inflamação e em alguns tipos de cânceres. Estudos realizados em animais demonstraram que a ingestão da lactoferrina fornece proteção contra alguns tipos de cânceres. A lactoferrina tem atuação: anti-bacterial; antiviral; anti-trombótica; transporte do ferro; imunomodulação; propriedades quelantes das toxinas.

• Peptídeos: os peptídeos, tanto das caseínas quanto as do soro, são bioativos. É o produto final da digestão das proteínas. Possui múltiplas funcionalidades. As funções peptídicas incluem: anti-microbiológicas/ anti-virais/ quelante de toxinas; anti-hipertensivo; antiinflamatória; imunomodulação; anti-câncer; controle do apetite; efeitos opióides.

• Caseína glicomacropeptidíca: prevenção do câncer; imunomodulação; supressão de dietas; efeitos cardiovasculares.

Conclusão:

Quase todos os componentes do leite têm funções fisiológicas além das nutricionais. Os componentes do leite são multifuncionais; os alimentos lácteos possuem um conglomerado natural de nutrientes que protegem a saúde e incrementam o sistema imune. São necessários mais estudos clínicos em humanos para provar a eficácia em todos os casos.

Referência bibliográficas: • Harper, W.J. Functional aspects of dairy foods. Department of Food Science and Technology – Ohio State University. • Shortt, C. O’Brien, J. Handbook of functional dairy products. Ed. CRC, 1st Ed, 2004. • Sandholm, T. M. Functional dairy products. • Gianetti, K. T, Penna A.L.B. Caracterização de bebidas lácteas funcionais fermentadas por probióticos e acrescidas de prebióticos. Ciencia e Tecnologia de Alimentos. Vol 23, no. 3, Campinas, 2006. • Balcão, V.M. et al. Alimentos potenciadores de saúde: produtos lácteos probióticos. Biblioteca digital UFP. • Campos, Licinia. Ácido linoléico conjugado, leite e laticínios. Informativo Leite & Saúde. Edição no. 13/08. Disponível em www.lacteabrasil.org.br. . Fonte: Informativo Leite & Saúde – Láctea Brasil,.  adaptado pela Equipe Milknet.

Deixe uma resposta