História da fabricação de queijos

0
411
CPT - Centro de Produções Técnicas

Lúcio de Cavargna nasceu em plena Idade Média (entre os séculos 12 e 13), no Vale de Cavargna, província de Como, na Itália. Quando jovem, foi pastor de ovelhas e tornou-se um hábil queijeiro.

Conta a lenda que o futuro santo conseguia produzir, depois da coagulação, uma generosa quantidade de queijo. Este queijo excedente era por ele generosamente doado aos pobres e necessitados, sem gerar prejuízo algum a seu patrão.

A iconografia tradicional mostra São Lucio vestido de maneira simples oferecendo queijo às pessoas carentes. O santo teve uma vida curta, intensa e trágica. Seu patrão, um homem avarento e egoísta, nunca aceitou a generosidade de São Lucio, e por isso estava sempre o perseguindo e acusando de roubo.

Humilhado, o pastor queijeiro deixou o emprego e imediatamente começou a trabalhar para outro patrão, transformando o leite em um bom queijo para seu novo empregador e usando seu dom milagroso para produzir queijo para os pobres, dando continuidade à sua obra de caridade cristã. Enquanto seu segundo patrão enriquecia graças ao fruto do trabalho copioso de Lúcio, o primeiro se corroía em egoísmo, inveja e ódio.

 

Influenciado por tais sentimentos, ele iniciou uma nova e desesperada perseguição a Lucio, acusando o caridoso pastor de graves delitos. Lucio encontrou seu trágico destino num 12 de Julho (o ano é incerto), quando foi ferido mortalmente por uma cutela. Assim, de modo trágico, terminou a vida do homem conhecido como “o pobre que dava aos pobres “, um grande caridoso que usava o queijo não só para suprir as necessidades dos famintos, mas também para apresentar o leite como uma fonte de vida plena de amor e esperança.

São Lucio de Cavargna, Mártir de Caridade, foi reconhecido com o título de Patrono da Arte Queijeira e do Mundo do Leite. A história de sua vida foi contada por anos a fio por aqueles que lidavam com a fabricação e a manutenção de queijos. São Lúcio é cultuado na Itália e Suíça desde tempos remotos.

Recentemente, também passou a ser idolatrado na França, Alemanha e América do Sul. São Lúcio ainda hoje é venerado hoje em diversas igrejas e capelas de vilas e cidades da Itália. Sua iconografia existente é muito rica.

30A primeira pintura retratando o santo, datada de 1279, é conservada em Lugano, na Suíça. O santuário de São Lúcio, construído a 1.550 metros de altitude, entre os anos 1289 e 1359, foi restaurado recentemente e todo ano é visitado por devotos e peregrinos.

Bozzeti Vincenzo.

Deixe uma resposta