InovaLácteos 2016 estabeleceu ponte entre indústria e jovens inovadores

0
230
CPT - Centro de Produções Técnicas

A Vitrine de Inovação do InovaLácteos 2016, ocorreu no Instituto de Laticínios Cândido Tostes, no contexto da tradicional Semana Nacional do Laticinista, em sua 37ª edição. Em parceria com o SIMI, Sistema Mineiro de Inovação da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SECTES), e o ILCT/Epamig com o apoio financeiro da Fapemig, o Polo do Leite realiza a segunda edição do InovaLácteos, o programa de incentivo a inovações no setor lácteo. O propósito do evento foi preparar os autores para a apresentação de suas tecnologias no Showcase. Neste ano as tecnologias atendem a quatro demandas de novos produtos e processos: Saúde & Bem-Estar, Conveniência & Praticidade, Identidade & Qualidade e Detecção de Resíduos e Adulterantes. O evento teve uma dinâmica particular. Na parte da manhã do dia 20/07 foram realizadas três palestras de 45 minutos, sobre Inovação, Modelo de Negócios e Apresentação Pitch. Na parte da tarde, mesas de mentorias (Investimentos, Modelo de Negócios, Marketing, Propriedade Intelectual e Apresentação de Pitch), são formadas e os mentores reúnem-se por vinte minutos com cada grupo de autores.

 

Tecnologias selecionadas no Inovalácteos 2016

– Produtos lácteos com compostos bioativos Enriquecimento de queijo minas frescal e iogurte com produtos de origem vegetal ricos em polifenóis. Estes compostos possuem propriedades farmacológicas importantes podendo atuar na prevenção de diversas doenças.

– Sorvete Funcional Sorvete com alto teor proteico e baixo teor de açúcares e gorduras, constituindo-se em uma boa fonte de fibras e apresentando propriedades prebióticas.

– Produto lácteo com elevado teor de TGF beta. O fator de crescimento TGF-beta pode contribuir para a regeneração de tecidos, como a mucosa intestinal. Com a utilização de diversos tratamentos físicos procura se otimizar a ativação deste fator de crescimento e produzir um produto lácteo concentrado em TGF-beta, eficaz na aceleração da cicatrização e tratamento de inflamações e feridas gastrointestinais.

– Modificações de proteínas lácteas Modificações químicas e/ou enzimáticas de proteínas lácteas para aumentar sua resistência com potencial de aplicação nas indústrias de alimentos, farmacêutica e de ingredientes.

– Fermento lácteo por tecnologia alternativa Desenvolvimento de fermentos lácteos a partir de componentes do leite, com baixo custo e larga escala, apresentando alta estabilidade à temperatura ambiente durante a estocagem, devido à baixa umidade e à baixa atividade de água no produto final.

– Doce de leite probiótico Por meio da incorporação de tecnologias adequadas na desidratação do doce de leite, pode se manter a viabilidade de microrganismos probióticos em um produto de apresentação diferenciada pelo seu formato, de fácil manuseio e praticidade de armazenamento.

– Evaporador multimonitorado. O multimonitoramento de evaporadores permite total controle em relação aos parâmetros de processo inerentes à concentração, fundamentando a pesquisa e o desenvolvimento de novos produtos lácteos.

– Sensor remoto para detecção de resíduos Utilizando fontes ópticas, detectores, filtros, acopladores e fibras ópticas obteve se resultados altamente promissores na análise da qualidade do leite. Os sensores ópticos, especificamente a fibra óptica, apresentam inúmeras vantagens em relação aos sensores convencionais.

– Detecção de adulteração de leite de cabra A tecnologia consiste de técnica de espectroscopia ultravioleta pulsada para diferenciar e quantificar misturas de leite de cabra com leite de vaca. O processo é bastante rápido, sem necessidade de tratamento prévio das amostras, utilizando pequenas quantidades de leite fluido ou mesmo o leite em pó. A tecnologia permite o desenvolvimento de equipamento de pequeno porte e portátil.

– Detecção de resíduos de antimicrobianos no leite A tecnologia consiste no uso de espectroscopia infravermelha para a detecção e quantificação de resíduos de antimicrobianos e antiinflamatórios em leite. Os principais são Diclofenaco Sódico, Enrofloxacino, Penicilina G, Terramicina, entre outros, com percentuais abaixo de 1ppm.

Deixe uma resposta