Hipertensão e consumo de laticínios

1
2413
Hipertensão
CPT - Centro de Produções Técnicas

por Dra. Licinia de Campos, nutricionista

Hipertensão

Pressão alta ou hipertensão é a força do sangue contra as paredes das artérias. É medida em milímetros de mercúrio (mm Hg) e registrada por 2 números – pressão sistólica (quando o coração bate) contra a pressão diastólica (quando o coração relaxa entre as batidas). Os dois números são importantes. Durante o dia inteiro, a pressão sobe e desce. Mas quando se mantém elevada, acima do normal, representa grande risco à saúde. A pressão alta é perigosa porque força o coração a trabalhar mais forte, e a força do fluxo sanguíneo pode danificar as artérias. Na maioria das vezes, a pressão alta não dá sinais de aviso ou sintomas.

Uma vez instalada, geralmente perdura por toda a vida. Se não controlada, pode levar às doenças cardíacas e renais, e até derrame. Através destes passos, a hipertensão pode ser controlada: manter peso saudável; ser fisicamente ativo; seguir um plano alimentar saudável, incluindo alimentos pobres em sal e sódio; beber com moderação, quando o fizer; e principalmente, se tiver pressão alta e estiver sob medicação prescrita, mantê-la como indicado.

DIETA DASH

No passado, pesquisadores tentaram achar pistas sobre quais alimentos na dieta poderiam afetar a pressão, testando vários nutrientes em particular, tais como cálcio e magnésio. Estes estudos eram feitos na sua maioria com suplementos dietéticos e as respostas não eram conclusivas.

Então, cientistas apoiados pelo Instituto Nacional Americano de Coração, Pulmão e Sangue conduziram estudos-chaves. O primeiro foi chamado de “DASH” – Dietary Approaches to Stop Hypertension – e testou nutrientes de ocorrência natural nos alimentos. Suas conclusões demonstraram que a pressão alta pode ser reduzida com um plano alimentar, pobre em gordura saturada, colesterol e gorduras totais, com ênfase em frutas, hortaliças e laticínios de baixo teor gorduroso. Este plano alimentar – conhecido como dieta DASH – também inclui produtos como grãos integrais, pescado, aves e oleaginosas. Reduz carnes gordurosas, doces, bebidas adocicadas. É rica em magnésio, potássio e cálcio, assim como em proteínas e fibras.

O segundo estudo foi chamado de “DASH – sódio” e se focou no efeito sobre a pressão pela ingestão de dietas reduzidas em sódio. Os resultados demonstraram que a redução do sódio dietético diminuía a pressão. Papel do leite e derivados no controle da pressão As pesquisas demonstram que o plano alimentar DASH pode ajudar a abaixar a pressão alta, por ser um plano alimentar saudável, e inclui 2 a 3 porções de leite e derivados e 8 a 10 porções de frutas e hortaliças.

O trio de minerais presentes em todos os derivados do leite – cálcio, potássio e magnésio – exerce papel importante na manutenção da pressão saudável. A dieta DASH é rica nestes 3 minerais, contendo cerca de 2 a 3 vezes maior quantidade do que as pessoas normalmente consomem. Um relatório de pesquisa concluiu que o aumento da ingestão de cálcio dietético pode ajudar a reduzir a pressão alta.

O potássio é um mineral que ajuda a regular os fluidos e o equilíbrio mineral do organismo e mantém a pressão a níveis saudáveis. Este é um papel importante, considerando a incidência crescente que se vêm verificando nas sociedades modernas. Sem o consumo de 3 porções de leite e derivados diariamente, pode ser difícil obter as necessidades em potássio. Os Guias Dietéticos encorajam crianças e adultos a consumirem 3 porções de leite, queijo ou iogurte desnatados ou com baixo teor lipídico a cada dia. Em fevereiro de 2004, após revisão extensiva da literatura científica, o Instituto de Medicina dos EUA estabeleceu a primeira referência dietética diária (DRI) para potássio em 4700mg por dia para adultos – mais que o dobro das estimativas anteriores. Três porções de leite e derivados contêm um total de cerca de 1200mg de potássio. O potássio exerce papel importante na regulação da pressão e prevenção de AVCs (acidentes cardiovasculares). Dietas contendo alimentos de boa fonte de potássio e pobres em sódio podem reduzir o risco de pressão alta e derrame.

Em estudo do Instituto Americano de Coração, Pulmão e Sangue, os pesquisadores examinaram os hábitos alimentares de quase 5000 pessoas. Concluíram que os consumidores de 2 ou mais porções de alimentos lácteos de baixo teor lipídico como leite, queijo e iogurte, tinham tendência a ter menores índices de pressão alta, e o consumo de alimentos lácteos foi associado com menor incidência de pressão alta e menores leituras de pressão sistólica.

Os pesquisadores notaram que estas conclusões davam suporte à recomendação de consumo de alimentos lácteos de baixo teor lipídico, com efeito significativo na diminuição da pressão. O risco de morte por AVC em mulheres é de 1 para cada 3 mulheres, o que excede o número de mortes por AVC em homens, e a hipertensão é um fator de risco para doenças cardiovasculares. Em 2007, a Associação Americana do Coração atualizou suas orientações para a prevenção de AVC. Em conjunto com a orientação de terapia de reposição hormonal e consumo de aspirina, a maior parte das recomendações se foca em mudanças de estilo de vida para ajudar a controlar a pressão, inclusive controle de peso, aumento da atividade física, moderação em consumo de álcool, restrição ao sódio e ênfase em consumo de frutas, hortaliças e produtos lácteos de baixo teor lipídico.

Na verdade, os autores notaram que quase todas as mulheres correm o risco de doenças cardíacas, ressaltando a importância do estilo de vida saudável para todas as mulheres.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta