Assistência técnica e tecnologia fortalecem cadeia produtiva do leite

0
328
CPT - Centro de Produções Técnicas

A cadeia produtiva do leite tem sido potencializada pelo governo nos últimos anos. De acordo com a Secretaria de Estado de Agropecuária (Seap), a produção leiteira do Acre abastece cerca de 40% do mercado local.

O fortalecimento e crescimento da cadeia produtiva do leite são associados à preservação da floresta. Para que isso seja possível, o Estado investe em tecnologia para melhorar a qualidade dos alimentos, o que aumenta a produção dos animais.

Outro mecanismo de apoio é a oferta de assistência técnica, associada ao melhoramento genético dos animais. Nessa sexta-feira, 7, o veterinário da Seap, Edivan Maciel Azevedo, realizou o procedimento de inseminação artificial nas vacas leiteiras da produtora Angélica Pena.

“O governo disponibiliza assistência técnica, objetivando o melhoramento genético do rebanho leiteiro, o que gera o aumento da produtividade. E isso é possível por meio da inseminação artificial, pois possibilita o uso de material genético de reprodutores de todo o mundo”, explicou o Edivan.

Segundo a produtora Angélica Pena, o Estado é parceiro dos produtores de leite. “Se nós tivéssemos que pagar por esse serviço, os custos sairiam muito altos. O apoio nos permite investir mais no rebanho e aumentar nossa produção”, frisou.

Em 15 hectares de pasto, são produzidos 900 litros diários de leite na propriedade de Angélica. Com incentivo, a produtora estima que a produção aumente para dois mil litros por dia, totalizando 60 mil litros ao mês.

Deixe uma resposta