Preço do leite sobe e dá fôlego ao produtor em São Paulo

0
250
CPT - Centro de Produções Técnicas

Em março deste ano, o produtor recebia R$ 1,37. Agora, leva R$ 1,42 O consumo de leite está ligado ao poder aquisitivo do brasileiro. E, apesar disto, este ano, a demanda está melhor do que a oferta. Esta foi a combinação que tem feito o preço subir, dando fôlego ao produtor. Atualmente, o preço do leite pago ao produtor teve aumento de R$ 0,5 no interior de São Paulo.

O levantamento foi feito por uma consultoria de Piracicaba. Em março, o produtor recebia R$ 1,37. Agora, leva R$ 1,42. Comparado com o mesmo período de 2016 a situação é melhor, porque na época o valor era de R$ 1,21 por litro. “A oferta tem caído. É uma queda sazonal, as empresas estão em busca de leite até o momento. Então, há uma competição razoavelmente grande no campo por leite. Os preços estão aumentando”, afirmou o analista de mercado Valter Galan. Ainda de acordo com o levantamento, os produtos lácteos tiveram uma queda no consumo de 3,7%.

Mas, se comparado com o mesmo período de 2016, a situação não é ruim, já que estava em 5,8%. “O consumo de lácteos está muito associado à renda e situação econômica do país. Então, em recessão, você pode esperar uma queda no consumo de proteínas animais de forma geral e lácteos”, analisa Galan. Diante deste cenário, o produtor deve ficar atento para aproveitar o momento certo para comprar insumos, além de reservar parte do lucro para manter a produção nos períodos de estiagem.

“O produtor tem que olhar a atividade dele no período de 12 meses. Então, se ele fizer lucro bom agora, tem que guardar para um momento de queda de preço, que normalmente ocorre no leite. Isso não é extraordinário, todo ano a gente tem essa queda”, aponta Galan. É isso que o produtor José Dini tem feito. Apesar de ser um pequeno produtor, ele consegue permanecer na atividade ao fazer o manejo do rebanho, principalmente com vacas que não estão no período de lactação.

“Para o pequeno produtor sempre se manter, a vaca seca sempre foi problema porque temos que manter ela sem ela produzir. Mas sempre fazemos um esforço. Sempre tem um pastinho do lado e colocamos ali, mantendo ela bem alimentada, bem tratada, para que esteja em um bom estado para quando produzir o leite”, destaca.

Deixe uma resposta