CPT - Centro de Produções Técnicas

Sindicato das Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat-RS) divulgou no dia 13 de agosto a pretensão do setor lácteo de apostar na exportação de leite em pó. A decisão partiu após apresentação em reunião do projeto CNA – Aliança Láctea: Exportação de leite em pó pelo ex-secretário de comércio exterior Welber Barral.

Segundo o Sindilat-RS, o objetivo da ação é ajudar as indústrias brasileiras a conquistar o mercado exterior. Antes, é preciso fazer ajustes de preço para ter condição de competir fora do país. Para tornar o preço competitivo no mercado exterior, é necessário que o valor do leite em pó do Brasil tenha uma média de 7% a menos que o da Oceania.

Os três estados do Sul em conjunto totalizam 38% da produção láctea do Brasil, podendo chegar a 50% até 2025. O presidente ressalta ainda que a região detém 15% da produtividade do país, o que poderá levar a aceder o estoque para os próximos anos, pois haverá muito desperdício no setor. Sendo assim, será preciso escolher quem fica e quem sai da atividade. O correto é que, até o ano de 2025, 10% da proteção seja exportada, afirma o secretário de Agricultura de Santa Catarina.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here